domingo, 13 de dezembro de 2015

Carrego várias drogas. Todas no corpo.


carrego várias drogas.
todas no corpo.
a dor dos amores passados,
o desejo dos amores perdidos,
a sede incessante pela felicidade,
que sempre busco num lugar comum.
eu sempre erro e me perco no meio do caminho,
mesmo refazendo a rota inúmeras vezes.

carrego muitas drogas.
todas com gosto de sangue,
sangue quente que me faz morrer de dor.
não quero o sofrimento de uma mentira,
dessa loucura desvairada que te chamei.
essa história mal contada que eu repito aos íntimos,
e aos não tão íntimos também...

carrego todas as drogas,
como uma mula cruzando a fronteira.
com medo de ser pega pela vigilância da sanidade.
carrego tudo, menos você.
o primeiro passo é evitar a próxima dose.

Nenhum comentário:

Postar um comentário